Armazenamento de carnes: veja as melhores técnicas para preservar suas compras

armazenamento de carnes

O pitmaster e assador Rodrigo bueno, do BBQ Bueno traz dicas para o armazenamento da carne tanto para geladeira ou freezer.  As carnes, mesmo congeladas ainda possuem um tempo de validade. Quando congeladas em pedaços, possuem cerca de 9 meses de validade.

Já quando congeladas em bifes ou cortadas, possuem cerca de 6 meses. A carne moída, independente de seu corte possui o prazo de validade de até 3 meses.

Leia também – Conheça os pontos da carne e faça um churrasco perfeito

Um dica que pode ajudar a lembrar dos prazos das carnes é colocar etiquetas com a data da compra nas embalagens e recipientes, e organizá-los colocando as mais novas atrás ou em baixo, e as mais antigas em cima e na frente, para que use-as primeiro e não deixe passar do prazo de validade.

Depois de descongelada a carne deve ser consumida em até 24 horas, e não deve ser congelada novamente, apenas se tiver sido assada.

Na hora da compra

Para aqueles alimentos que ficam nas prateleiras, é preciso verificar a data de validade, quando foi o abate e a data de embalagem. Opte por aqueles mais recentes e frescos. 

Carnes picadas costumam ter sua vida de prateleira mais curta pois, tem uma maior superfície de contato com o meio externo o que favorece a contaminação. Prefira comprar por carne moída na hora, na sua frente. 

Conservação em casa

Antes de mais nada, não tempere a carne, os temperos comuns como alho e cebola tem uma alteração natural do sabor com o passar do tempo, ou seja, se a carne estiver temperada seu sabor também será alterado, por isso deixe para temperar apenas quando for consumir.

Outra recomendação ótima para seguir é congelar as carnes em pedaços inteiros, pois quando cortadas possuem mais superfícies expostas que ficam propensas a proliferação de bactérias.

Contudo, se você não irá preparar o pedaço inteiro quando o descongelar, corte a carne em bifes ou peça para que o açougueiro corte, para assim guardar em porções individuais para uso, podendo assim descongelar a quantidade correta para cada preparo.

Mais conteúdos

Farofa, um acompanhamento versátil e delicioso

Os tipos de farinha podem ser de mandioca, de milho, d’água, de pão e de rosca, para criar diferentes sabores.

chef flambando

A arte de usar bebidas alcoólicas para flambar

Flambar é um procedimento de cozimento no qual álcool é adicionado a uma panela quente para criar uma explosão de.

aligot

Conheça o Aligot, o purê chic que é uma explosão de sabor

O Aligot é uma especialidade gastronomia francesa que consiste em um purê de batatas mesclado com muito queijo, formando consistência.

bisteca-fiorentina

A venerada Bisteca Fiorentina

A Bistecca alla Fiorentina é um prato típico da Itália, da região de Toscana, onde é venerada. Seu preparo é.

arroz tio joão

Arroz soltinho e saboroso? Veja porque começa no campo

Para um arroz de alta qualidade, o planejamento acontece do campo à mesa para garantir uma qualidade superior, até chegar.

Pão de alho: casquinhas crocantes e recheios cremosos para seu churrasco

O pão de alho é um acompanhamento que faz muito sucesso em churrascos. É possível fazer versões caseiras extremamente gostosas